paciencia
Tirar patente no Brasil é teste de paciência
25 de October de 2016
MARCA
Brasil quer agilizar adesão a protocolo para proteção de marcas
24 de November de 2016

Brastemp proíbe sites de usarem seu nome em domínios e os suspende.

Brastemp.svg

Nesta semana a marca Brastemp começou uma luta em busca de retirar do ar todos os sites que possuem domínio com seu nome. 

Na maioria dos casos os sites que usam a marca Brastemp eram de empresas de assistência técnica especializada porem não autorizada pela Brastemp, o que confundia muitas vezes os consumidores. 

 

O direito da marca de efeito legal é da  Brastemp, porem não se encontrava nenhum tipo de bloqueio para que qualquer um compre o domínio usando seu nome, ao que também faz pessoas perderem o dinheiro com a  compra para depois não poder usar. Acabamos de fazer um teste para ver se a empresa registro.br bloqueio a compra do nome Brastemp e não foi bloqueado fizemos um teste com nome brastemplegal.com.br – e está disponível para a compra:

 

brastemp

 

Do lado das assistências técnicas não autorizadas,  justificam que sempre ajudaram a empresa atendendo seus consumidores, e que no fim só um lugar vende peças: a propria Brastemp, e que por muitos meses acabavam por ter uma demanda alta de solicitações por que a central não conseguia atender, entendem assim que devem ter expandido o atendimento e que agora vão conseguir atender a todos sem atrasos e problemas. 

As empresas que usavam domínios exemplo brastempsp.com.br brastempautorizado, brastempespecializado entre outros, tiveram 46 horas para apresentar a autorização da Brastemp para o uso da marca e após esse período o sites foram bloqueados. 

 O Google Adwords ferramenta de links patrocinados do Google, pode ter sido o grande alerta para a Brastemp, as assistências técnicas autorizadas e não autorizadas se misturavam na guerra por lugares privilegiados na competição para atrair internautas na web, ao que foi fácil para Brastemp identificar quem eram seus principais alvos. 

A empresa Brastemp está exercendo seu direito legal,ao que não pode ludibriar o consumidor fingindo ser algo que não é.